Buscar

A EVOLUÇÃO DOS UTENSÍLIOS



A história da cozinha é praticamente a história da evolução do fogo e do fogão. Já a história dos utensílios são reflexos das dificuldades nutricionais, gostos e necessidades que cada civilização teve ao longo do tempo.


De acordo com os estudos arqueológicos, há evidências de que os recursos naturais que os homens primitivos tinham à mão determinaram a cultura culinária das civilizações. Por exemplo: povos que viviam próximos ao mar utilizavam conchas e cascos de tartaruga como cumbucas primitivas, o que delineou suas preferências alimentares. Os asiáticos, tão bem providos de certos tipos vegetais, utilizavam copos feitos de bambu; da mesma forma, os americanos pré-Colombo tinham diversas tigelas feitas de pedra.


O livro Consider The Fork, observou que na cozinha a tecnologia só sobrevive quando é útil, ou seja, o que é prático nunca sai de moda. Exemplos: a faca e a própria panela. Estes sobreviventes foram capazes de moldar costumes tanto à mesa quanto no uso do fogão.


No entanto, é possível dizer que a história dos utensílios de cozinha teve maior desenvolvimento em três momentos da humanidade:


*A descoberta do fogo, graças ao qual foi possível fundir metais e produzir utensílios mais precisos, pois até então a pedra era o principal material culinário;

*A descoberta da cerâmica, que possibilitou moldar panelas e recipientes mais resistentes ao calor;

*E a primeira Revolução Industrial, que popularizou utensílios metálicos e facilitou a disseminação de hábitos de mesa da nobreza europeia.


Veja a seguir os 4 utensílios que evoluíram com o tempo:


01) Panelas

Origem: 10 mil anos a.C. / América do Sul


No início, as carnes e legumes eram cozidos e assados em conchas, cascos de tartaruga e até mesmo dentro do estômago de animais.


A história dos artefatos para cozinhar só começa mesmo com o desenvolvimento da cerâmica. “O uso de vasos de cerâmica permitiu o cozimento em água fervente sobre o fogo”, escreveram Jean-Louis Flandrin e Massimo Montanari em "História da Alimentação". Mas, embora potes e vasos de cerâmica fizessem as vezes de panelas, as primeiras civilizações ainda preferiam a cocção direta.


O protótipo das panelas de hoje começou a surgir com a descoberta do metal, na forma de caldeirões. Atualmente existem modelos de vidro, inox, alumínio, cerâmica, com ou sem tampa e para cada receita, existe uma panela adequada.


Depois de uma descoberta tão significativa, pouco se inovou. Uma cozinha medieval europeia, por exemplo, valia-se de um caldeirão de ferro, uma panela de barro e um assador em forma de lança, para assar pedaços de carne e animais inteiros.


Só no século 17 esse repertório se expande e o caldeirão ganha a companhia de frigideiras, chaleiras e panelas. Nos Estados Unidos, as panelas costumavam ser de ferro enquanto na Europa e Ásia, o cobre e o aço eram materiais mais usados.


Nos últimos séculos, inovações na metalurgia atingiriam em cheio a cozinha: aço inoxidável e alumínio tornaram a produção em escala de panelas economicamente viáveis. Nos dias atuais, modelos com revestimento cerâmico são muito valorizadas pelo seu custo benefício, sendo consideradas panelas mais saudáveis para o preparo de alimentos por não liberarem elementos químicos. Conheça a linha premier Le Cook.


02) Garfo

Origem: séc. XI / Europa


O garfo é considerado uma das invenções mais recentes, pois apareceu apenas no século XI, já na Europa. Naquela época, comer com as mãos era costume natural entre as civilizações grega e romana. Era, inclusive, um indicador de nível cultural, pois quem conseguia usar apenas três dedos era tido como alguém altamente culto e fino. Além disso, havia muito preconceito quanto ao seu uso, já que seu formato é análogo ao tridente do diabo, e a Idade Média levava mais a sério os símbolos religiosos. A superstição caiu abaixo quando os italianos passaram a utilizar o garfo para a macarronada, e o costume foi logo associado à nobreza: costumava-se comer macarrão com a mão, o que, após a popularização do garfo, ficou associado às classes baixas.


Personalidade-chave nesta mudança foi Catarina de Médici, esposa do Rei Henrique II, que introduziu o garfo nas refeições do reino. Hoje em dia, o garfo ganhou qualidade e até mesmo diversificações conforme uso. Além dos modelos tradicionais, há garfos especiais com garfos trinchantes linha churrasco paixão nacional e garfo de peixe linha Elite.


03) Facas

Origem: há cerca de 2 milhões de anos / Etiópia


Criadas antes mesmo da descoberta do fogo, a faca também servia como arma. Os primeiros materiais usados para a fabricação delas eram pedra, bronze e ferro. Com sua popularização, reis começaram a exigir sua utilização, e em consequência, vieram suas evoluções. Lâminas melhores e cabos feitos de todo tipo de materiais. Desde a simples madeira aos requintados em ouro e prata.

Já a etiqueta à mesa, criada pelos franceses, serviam primeiramente para que as pessoas evitassem os acidentes com as facas. Um dos reis mais exigentes foi o francês Luis XIV, que colecionava modelos enfeitados com colares, conchas marinhas e pérolas. Os nobres que queriam acompanhar a tendência, mas não tinham tanto poder, mandavam fazer faqueiros de porcelana, marfim e até com chifres de animais, todos eles pintados à mão.


Foi só no século XVIII que o Aço Inox se tornou material mais desenvolvido e apreciado. Desde então, é o principal elemento usado na fabricação de talheres em geral e facas.

Cortar carnes, legumes e alimentos mais rígidos foram as necessidades determinantes para o surgimento das facas. Em nosso mix encontre, as facas forjadas moda do Chef e a linha profissional.


04) Colher

Origem: séc. III a.C.


A colher surgiu provavelmente três séculos antes da era cristã. Antes dela eram utilizados galhos e conchas para se alimentar de líquidos e substâncias pastosas.


No início, as colheres tinham composição simples. Eram resultado de galhos presos a conchas e serviam apenas para mexer ingredientes dentro de potes e panelas. Depois da descoberta e manipulação do ferro, aço, ouro e prata, ela ganhou toques mais refinados. Depois do século XVI e com maior popularidade, as colheres passaram a ser utilizadas para comer alimentos líquidos e pastosos.


Além da qualidade evidente, mais de dois mil anos de evolução permitiu que as colheres chegassem a ter status de muita sofisticação, como temos na linha Elite Glamour.


Como podemos ver, com o tempo, muitos utensílios de cozinha se modernizaram tornando-se mais práticos e funcionais. Acompanhar a história ajuda a entender a evolução desses itens que fazem parte do nosso dia a dia.


Fontes:

http://revistaepoca.globo.com/

https://paladar.estadao.com.br/noticias/comida,a-historia-das-panelas,10000099259

https://blog.estrela10.com.br/utensilios-de-cozinha-4-evoluiram-4-sumiram/

218 visualizações

Posts recentes

Ver tudo